quarta-feira, 28 de junho de 2017

Sinta-se em casa
No meu peito
Que é um lugar
Poucas coisas são lugares.

Todas suas coisas
Sua arte
De Marte
De Venus
Tanto faz não tenho medo.

Sua força
Que se permite
Deslizar na minha
Um arco-íris de cabelo.
Tão iguais, mas nunca o mesmo.
Por amor a independência
Tive que profanar
Tudo aquilo que tinha como sagrado
Para que de alguma forma
Encontrasse a liberdade.