sexta-feira, 20 de maio de 2016

Nada é tudo e vice-versa!

Novo 64, dilema de Francisco de Maria de Jose,
Que soltaram fogos às 6 da manhã... Comemoravam!
O que, o golpe? Não!
O fim de si mesmo... Mas não sabiam.

Não há mais inteireza,
É tudo o mesmo e nada é tudo,
Funk e Samba, Rock ou Rap,
Tanto faz, não importa o canto ou canto algum.

Somos tudo, e somos nada.
Manual de como usar o titulo de eleitor,
Ativismos de “face” não sei o que,
De ”snap” já não se sabe!

O futuro é o zumbido oco no ouvido esquerdo,
O direito já muito surdo, não escuta!
Já esquecemos, somos etéreos,
Noviços sem rebeldia, de um tempo sem memória!


Thiago Mendes

Tarde 20/05/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário