sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Ansiedade em luar.

Agora não sabes,
Não tens para onde perambular,
Nas ruas de ouro perdeu o juízo
Veio a mendigar.
Mas nem pão e nem vinho
Nem água pra tomar.
Cheio de andorinhas
Habitantes abdominais,
Que voam até sua mente
Ansiedade em luar.
Paredes de edifício
Vem a tudo cercar,
Nublando sua mente
Mentes ao contar.
Que perdestes o juízo
Quando ela chegou do mar,
Um mar de marasmo de tua vida tirar.
Sou eu esse louco,
Tremo ao pensar,
Que a vida mude toda
Se ao teu amor me entregar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário