quinta-feira, 17 de março de 2011

Amarras





Palavras vividas e verdejantes
Fazem de forma a enaltecer os sentidos,
Bem imensurável a um coração
Em amarras de funduras abissais,
Que ao ser tocado
Por cálidas doces palavras
Explode em pulsações que destroem
Qualquer pretensa couraça ou armadura medieval.


Thiago Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário