sábado, 21 de agosto de 2010

Não sinto nada
Preso ao passado dês-liso
O presente não vale desfocado
O futuro lambuzado de incertezas

Lambe a dor inimigo
Ri agora que estou no chão
Cachorro preto, acha que me achas?
Num instante a esperança no outro o...


Thiago Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário